24 de mar de 2012


Registro da brincadeira de IMITAR FIGURAS ver mais Clicando AQUI

Estava trabalhando Esquema Corporal e utilizei a brincadeira de imitar figuras
com a finalidade  dos alunos desenharem figuras humanas.
Fiquei deslumbrada com os registros e a riqueza dos detalhes dos desenhos das crianças.
Nós professores devemos proporcionar momentos para que nossas crianças expressem-se de modo criativo.
 Aproveitar jogos e brincadeiras para realizar momentos de criatividade é maravilhoso para os pequenos. Professora Carminha.
AMOSTRA DOS DESENHOS:
Ana 4a. e 11m.
Muryel 4a. e 11m.
Jean 5a. e 7m.
Carolini 4a. e 11m.

21 de mar de 2012

A MÚSICA E SEU VALOR EDUCATIVO


A música é um importante mediador do desenvolvimento infantil, pois proporciona o desenvolvimento das habilidades físicas, mentais, espirituais, verbais, sociais e emocionais.
O corpo da criança é o ponto de partida para as atividades com música, sendo a voz um precioso instrumento e a expressão corporal promotora de ritmo e dança.
A criança através da música é levada a praticar, a reconhecer e a descobrir o ritmo e o som de maneira livre e organizada, a partir dos movimentos corporais e depois fora dele – sons ambientais, sons da natureza, eletrônicos, etc.
É um trabalho de desenvolvimento global que possibilita à criança usar toda sua capacidade para uma aprendizagem de acordo com seu ritmo.
A música encaminha os pequenos à cooperação e às trocas sociais, proporcionando o desenvolvimento da compreensão mútua pelo intercâmbio de ideias e conhecimentos, além de oportunizar a vivência dos próprios sentimentos.
A música faz parte da minha rotina docente, tanto na Pré-escola quanto no 2º Ano, as minhas crianças adoram cantar e dançar. 

18 de mar de 2012


 
ATIVIDADES COM JORNAL PARA OS PEQUENINOS

**Apalpar a folha de jornal, sem amassá-la para sentir a sua textura.
** Descobrir cores no seu jornal.
** Se o jornal tiver foto as crianças tentam imitar a foto (procurar páginas que não contenham cenas de violência).

** Fechando o jornal. (dobrar a folha em 2, 4, 8 partes), nestas atividades aproveito para trabalhar as noções de INTEIRO, METADE, ¼. Pois as crianças necessitam ampliar seu vocabulário e o professor deve aproveitar os momentos de atividades lúdicas para sistematizar o conhecimento, ao meu ver, mesmo que seja verbalmente
.(Profª Carminha)
Com o jornal dobrado:
-colocar na cabeça
-nas costas
-no ombro esquerdo/direito
-no pé e andar
-na mão direita, na mão esquerda
-atrás do joelhos e andar num pé só

Deixar a folha de jornal dobrada em 2 (fechado)
**Colocar o jornal no chão:
-sentar no jornal e fazer a volta com o bumbum nele
-andar em volta do jornal sem tocá-lo
-pular sobre ele sem tocá-lo
-deitar-se sobre ele, levantar a barriga e tentar movimentar-se em circulo, sem tocar a barriga nele.
-marchar sobre o jornal sem sair do lugar
-movimentar-se com os dois pés em cima do jornal
colocar seu jornal em cima do jornal de um amigo e movimentar-se ambos com um pé no jornal e o outro fora dele.
-colocar os jornais , um a frente do outro, formando uma estrada e engatinhar em fila sobre eles.
LIMPANDO A CASA
** Cada aluno pega seu jornal. Amassa, abre novamente a folha e sente a textura, observando a diferença entre a folha lisa e a amassada
 ** Amassa novamente o jornal, fazendo uma bolinha.
Com a bolinha fazer o jogo "Limpando a Casa".
**Divide a turma em duas equipes e faz um risco no chão, que pode ser de giz.
**Cada equipe ficará de um lado da casa e deverá jogar suas bolinhas de um lado para o outro, tentando sujar a casa da outra equipe. O que conta nesse jogo é o tempo, pois as bolinhas são reaproveitadas e jogadas novamente.
** Estipule um tempo que poderá ser de 3 minutos. Ao passar o tempo, pare o jogo e conte quem tem menos bolinha na casa. Essa será a equipe vencedora.
RECEITA MASSA DE PAPEL MACHÊ

 *#*Terminado o jogo, se quiser, pegue as bolinhas, junte com mais jornal picado pelos próprios alunos e façam uma massa de papel machê, deixando por alguns dias de molho e batendo no liquidificador com um grude feito de farinha e água.
*#* Coloque a farinha e a água para ferver (1/2 copo de farinha para 2 copos de água), deixe ferver e coloque uma colherinha de vinagre.
*#*Aperte bem o papel que estava de molho para escorrer a água, junte com o grude e bata aos pouquinhos no liquidificador. Vai formar uma pasta que pode ser trabalhada como massinha de modelar.
 Veja + sobre Esquema Corporal AQUI

13 de mar de 2012


O AMOR PELA PROFESSORA AJUDA O ALUNO A VIRAR ESTUDANTE

A professora é a referência máxima na vida escolar da criança. Nos anos iniciais é o alvo do carinho dos pequenos. A situação é conhecida e desejável, pois facilita o envolvimento do aluno com a vida escolar e consequentemente, o aprendizado.

A passagem da escola infantil para a fundamental causa muito impacto nos pequenos. As mudanças no ambiente físico, exigências intelectuais e atitudes receptivas da professora, isto torna a criança um pouco carente e insegura. No primeiro e segundo ano, a criança ainda tem pouca autonomia, precisando assim do apoio dos pais e da atenção da professora para amadurecer e aprender a ser um estudante.
Por isso, nos anos iniciais o educador tem de levar em conta o afeto infantil, muitas das vezes os pequenos precisam se aproximar da professora até fisicamente. Podemos observar nos corredores da escola as crianças se certificando da relação com a professora o tempo todo, por exemplo, se passarem dez vezes pela professora, fora da sala de aula, dez vezes eles vão cumprimentá-la, sem levar em conta a disputa para pegar na mão da professora na hora da fila. Você já deve ter visto cenas assim, acontece que as necessidades afetivas que são levadas em consideração na Educação Infantil, meio que de forma brusca, deixam transparecer um certo desinteresse ou esquecimento quanto as questões afetivas na passagem para o Ensino Fundamental.
Essa foi uma observação feita por mim e minhas colegas de Educação Infantil, Marilda e Marisa, em comum acordo, e achei interessante trazer para o Jogos e Brincadeiras Carmenlandia 
para a análise de outras professoras.


                                                                        Professora Carminha.

11 de mar de 2012

PULO GIGANTE    
 
** Dois jogadores têm de trazer duas cadeiras até uma linha  marcada pelo orientador, à 2 metros do ponto de partida, sem que coloquem nem as mãos nem os pés no chão.
** Uma hipótese de resolver a situação é saltitar ruidosamente cada um deles em sua cadeira.
** Outra é encontrarem uma estratégia cooperativa, deslocando-se sobre as cadeiras (avançam uma cadeira, passam os dois para cima desta, etc).
** O jogo pode ser repetido aumentando o número de jogadores e de cadeiras.
VARIAÇÃO: jogar utilizando tapetes ou almofadas, principalmente com os pequenos.

 ILHA DESERTA     
 
# Os participantes formam uma roda, pondo-se de pé em cima de cadeiras ou bancos.
# Estes representam ilhas desertas no meio do oceano.
# O objetivo é os alunos disporem-se segundo a ordem alfabética dos seus primeiros nomes, a partir de um ponto da roda.
# No entanto a deslocação de uma ilha para a outra tem uma regra: aquele oceano tem tubarões e outros animais marinhos perigosos, pelo que ninguém deve tocar no chão

 SOMOS TODOS VENCEDORES 
 
** Marcar uma pequena área no chão com uma cor ou um contorno. Esta área é uma ilha e os participantes são nadadores que precisam alcançá-la para ser salvo.
** O objetivo do jogo é encontrar uma solução que permita salvar o maior número possível de nadadores e, para isso, é necessário que nenhuma parte do seu corpo esteja na água.
** Com um giz pode-se ir reduzindo a área correspondente à ilha e ir repetindo o jogo.



6 de mar de 2012


JOGOS COOPERATIVOS 


O incentivo e desenvolvimento do espírito de cooperação e de participação na comunidade vêm transformando profundamente o estilo de se trabalhar em grupo.
A própria capacidade cooperativa é um quesito valorizado na hora de conseguir emprego, porque as pessoas estão descobrindo que não dá para ir muito longe sozinha. Antigamente, as grandes invenções eram atribuídas a uma pessoa. Foi assim com o telefone, com a lâmpada. Hoje, são as equipes que trabalham em conjunto, e unir-se de maneira eficiente tornou-se muitíssimo importante.
Os jogos estão presentes nas atividades educacionais, mas podemos observar que a maioria dos jogos tradicionais no Ocidente é de maneira competitiva.
O conceito de jogos cooperativos tem como elementos primordiais a cooperação, a aceitação, o envolvimento e a diversão.
Nos jogos cooperativos o confronto é eliminado e jogam uns COM os outros, ao invés de uns CONTRA outros. A comunicação e a criatividade são estimuladas.
Nos jogos cooperativos existe cooperação, que significa agir em conjunto para superar um desafio ou alcançar uma meta. Enquanto, que nos jogos competitivos, cada pessoa ou time tenta atingir um objetivo melhor do que o outro. Ex.: marcar gols, cumprir um percurso em menor tempo, etc.
O quadro abaixo nos dá uma ideia das principais características dos dois tipos de jogos.

JOGOS COOPERATIVOS
JOGOS
COMPETITIVOS
Visão de que "tem para todos"
Visão de que "só tem para um"
Objetivos comuns
Objetivos exclusivos
Ganhar COM o outro
Ganhar DO outro
Jogar COM
Jogar CONTRA
Confiança mútua
Desconfiança
Descontração
Tensão
Solidariedade
Rivalidade
A vitória é compartilhada
A vitória é somente para alguns

As atividades que privilegiam os aspectos cooperativos são importantes por contribuírem para o desenvolvimento do sentido de pertencer a um grupo, para a formação de pessoas conscientes de sua responsabilidade social, pois trabalham respeito, fraternidade e solidariedade de forma lúdica e altamente compensatória, levando a perceber a interdependência entre todas as criaturas. Nelas, ninguém perde, ninguém é isolado ou rejeitado porque falhou. Quando há cooperação todos ganham, baseados num sistema de ajuda mútua.
Os jogos cooperativos requerem o desenvolvimento de estratégias onde a cooperação é necessária para que um determinado objetivo seja atingido, superando as condições ou regras estabelecidas. Em lugar da competição pessoal, é estimulado o desenvolvimento da ajuda mútua e do trabalhar com os outros para um objetivo comum. Como ninguém é desclassificado, os participantes podem retirar total satisfação do jogo, porque ninguém corre o risco de se sentir inferiorizado perante o grupo. A satisfação pessoal advém não do fato de ganhar dos outros, mas do melhorar progressivo das suas capacidades individuais, que são usadas para atingir um objetivo grupal.
Através de jogos cooperativos torna-se mais fácil criar um bom espírito de grupo, de elementos ligados por laços solidários e afetivos.
Antes de começar uma sessão de jogos cooperativos convém que as pessoas se conheçam mutuamente para criar um ambiente mais familiar. Os jogos de apresentação podem constituir um bom instrumento para criar esse ambiente favorável.
No final dos jogos cooperativos deve haver um espaço para todos dialogarem sobre a experiência, fazendo o confronto entre estratégias competitivas e cooperativas. O que se ganha e o que se perde em cada uma delas?
Pesquisa - (Sala Evangelize CVDEE)

4 de mar de 2012


Brincar com terra, lama, areia e no gramado

John Richer – Psicólogo britânico – defende a tese de que as crianças precisam se sujar.
Segundo ele, a criança se beneficia quando se suja durante descobertas e brincadeiras, exercícios e esportes, jardinagem e outras atividades do dia-a-dia. Diz ele: “O contato com determinados vírus e bactérias auxilia no estimulo ao sistema imunológico e minimiza a possibilidade de alergia, além de integrar a criança ao mundo real, que é sujo, poluído”.
Ele avisa que a boa sujeira é da terra, da grama, da areia da praia. É com ela que a criança deve estar em contato.
“A necessidade de higiene é tão importante quanto a prática de atividades em que as pessoas possam se sujar. O desenvolvimento da criança se beneficia com isso”. Afirma Richer.
Estudos e pesquisas mostram que crianças que brincam e se sujam são mais flexíveis, populares e bem-sucedidas; pais que são sensíveis aos interesses dos seus filhos e sugerem atividades instigantes tem crianças mais desenvolvidas.
Crianças que não tem contato com o mundo real sujo estão sob o risco de ser menos maleável e não ser bem-sucedidas no futuro. Assim explica o psicólogo Richer.
“Falta de contato com a sujeira alimento a epidemia de alergia” – John Richer.
Um conselho do psicólogo para os pais: “- Não se preocupe se sua casa não for varrida todos os dias. Seu filho pode brincar no chão. Depois ele vai mesmo tomar banho. Nascemos programados para lidar com a sujeira. Mas isto só é possível quando entramos em contato com ela”.

---------Mamãe, não fique muito chateada, quando for buscar seu filhinho na escola e ele estiver sujinho, isto quer disser que ele esta vivendo sua infância. ----------


Carnaval na sala de aula ou em casa
 ao menos cada quinzena

O carnaval que os adultos fazem uma vez por ano, a criança precisa fazer, pelo menos, de quinze em quinze dias. Seja em casa ou na escola.
Você pode observar que, numa turma, a história de se fantasiar tem um poder quase mágico. É como se pintados e com roupas de adultos, os alunos combinassem ‘estamos todos no mesmo barco – o barco da fantasia’.
Minhas turminhas em festa
As crianças de seis e sete anos estão entrando no mundo sério (ensino fundamental), e uma das maneiras de entender o que é sério é brincar de ser sério.
Permita que suas crianças brinquem com máscaras, fantasias e pinturas de rosto (maquiagem /pinturas de palhaço). Se possível consiga roupas e acessórios de adultos, coloque-os junto com as máscaras e deixe à disposição das crianças.
As mamães também devem proporcionar esses momentos maravilhosos para seus filhos.
Fala sério, você já brincou de vestir roupas dos seus pais quando era criança? É o máximo né?

;;