15 de jan de 2016



JOGO DAS VIRTUDES

- A partir de agora iremos falar apenas de VIRTUDES, e nunca de defeitos.

- Cada um recebe papel e caneta, onde anotará a principal virtude ("qualidade") que acha do companheiro sentado a sua direita, sem identificar a pessoa, apenas colocará a  qualidade, por exemplo:
"honestidade" e não "honesto" /
"simpatia" e não "simpática" /
"coragem" e não "corajosa" e assim por diante.

- Os papéis serão dobrados, recolhidos e misturados.
- O educador então começa a ler as virtudes e os participantes tentarão identificar quem assume melhor aquelas características.

- O mais votado recebe o papel e guarda até o final do jogo. Detalhe: nessa hora aquele que escreveu não revela o que foi escrito.

- Quando todos os papéis forem distribuídos cada um deve dizer como se sentiu, sendo identificado por aquela característica: se concorda ou não que ela seja sua característica mais marcante. Aí sim o companheiro do lado revela o que escreveu dele e justifica.

- Após todos serem identificados, o educador ressalta a importância de nos habituarmos a enxergar as virtudes, aceitar defeitos e viver em harmonia com as pessoas.



NÓS HUMANOS


Objetivo: Estimular o raciocínio e o trabalho em equipe;

-Todos os participantes formam um círculo dando as mãos.

- Cada um verifica quem está à sua direita e à sua esquerda. Isto é muito importante, pois pode haver confusão depois, portanto, peça que cada um fale alto para si e para os outros: "João está à minha direita e Ana, à minha esquerda", etc.

- Diga para soltarem as mãos e caminharem pelo espaço, aleatoriamente, até ouvirem um sinal (palma ou assobio). Ao ouvi-lo, todos param EXATAMENTE ONDE ESTÃO.

- Agora, sem sair de suas posições, deverão dar sua mão direita para quem estava à sua direita e sua mão esquerda para quem estava à esquerda. Vai se formar um nó de pessoas, e deverá ser desfeito, voltando o círculo à posição inicial, sem que ninguém solte as mãos.
Veja mais sobre os Jogos Cooperativos:
JOGOS COOPERATIVOS

0 comentários:

Postar um comentário