31 de jul de 2011

BRINCADEIRAS FOLCLÓRICAS – Percepção Espacial





 CADÊ O TOUCINHO QUE ESTAVA AQUI? (Parlenda)

* Toca-se em cada dedo da criança, dizendo o nome popular de cada um: Mindinho, seu vizinho, pai - de - todos, fura-bolos e mata - piolho.
* Ou: "Este diz que quer pão. Este diz que não há. Este diz que furtará. Este diz "alto lá", Este diz que Deus dará.
* Em seguida, pega-se a mão da criança e, com a ponta do indicador pinicando-lhe a palma, pergunta-lhe:

- "Cadê o toucinho que estava aqui?"
Resposta: - Gato comeu.
E o diálogo prossegue:
 -Cadê o gato? -foi pro mato.
 -Cadê o mato? - Fogo queimou.
–Cadê o fogo? - Água apagou.
 -Cadê a água? - Boi bebeu.
 - Cadê o boi? - Foi carrear trigo.
- Cadê o trigo? - Galinha espalhou.
 - Cadê a galinha? - foi botar ovo. –
-Cadê o ovo? - Frade bebeu.
-Cadê o Frade/ - Foi rezar uma missa.
 - Cadê a missa?
* Nesse instante, a pessoa, usando os dedos médio e indicador, fará os dois supostos pesinhos que subiram pelo braço, até provocar cócegas debaixo do braço da criança: - "foi por aqui, aqui, aqui...ACHOU!"

VARIAÇÃO: Pega-se a mão da criança e fala: "Nessa mãozinha havia cinco pintinhos. Pega-se o dedo e diz:
- Um saiu por aqui" outro dedo: - "Outro por aqui". E assim por diante. Depois chega galinha, que são os dedos da pessoa ciscando a palma da criança:
 "- Cadê os meus pintinhos, cló, cló, cló?
 A pessoa vai procurando pelo braço acima, até fazer cócegas.
 CABRA-CEGA DE RODA

* Formação em circulo, um aluno de olhos vendados no centro com um objeto na mão (saco de farinha);
* Dialogo:
- Cabra cega?!

- Senhor.
- De onde vieste?
 - De traz da serra.
 - Que trouxeste?
 - Um saquinho de farinha.
 - Dá-me um bocadinho?
- Não chega pra mim mais minha velha.
* As crianças todas tentam beliscar o saquinho de farinha que a cabra-cega, de olhos vendados, no meio da roda, tem em uma das mãos; e ela tenta agarrar as que lhe aproximam. * A que se deixa prender, ou tocar, passa a ser a cabra-cega e a brincadeira recomeça.
 BOI TATÁ - CABEÇA PEGA O RABO

* Formar colunas de mais ou menos oito elementos, cada um segurando na cintura do companheiro da frente.
* O primeiro jogador tenta pegar o último da coluna, que procura se desviar para não ser pego. Se conseguir, o primeiro jogador da coluna troca de lugar com o último.

 FLORESTA DO LOBISOMEM 


* Traçar no chão um retângulo bem grande (sendo a floresta) ou marcar o espaço com 2 cordas compridas colocadas paralelas.                                                                                              * Dentro ficam três participantes que são os pegadores, fora ficam os demais, à vontade. Dado o sinal de início, os jogadores que estão fora tentam cruzar o retângulo, isto é, a "floresta", sem serem pegos.                                                                                                                                     * Os três jogadores de dentro tentam pegar os outros "forasteiros" que cruzam a floresta de um lado para o outro. Quem for preso, passa a ajudar os pegadores
.
 PULA CARNIÇA

* Consiste num alinhamento de crianças, em rápido deslocamento, uma a uma, pulando sobre as costas dos companheiros parados, curvados, apoiando as mãos nas coxas.

* Pulada a última carniça, o jogador corre e para adiante, esperando que os demais saltem sobre ele.
 REINO DOS SACIS

* Num canto do terreno, marca-se o "palácio", onde fica um jogador, o "Saci-rei". Os demais "sacis" dispersam-se à vontade pelo campo.
* Ao sinal de início, os sacis dirigem-se, pulando num pé só, ao palácio real, para provocar o rei.

* De repente, este anuncia: "_O rei está zangado!", saindo a persegui-los, também aos pulos.
* O primeiro que ele pegar, nomeia seu "ajudante".
* A brincadeira recomeça, tal como antes, saindo agora os dois, após novo aviso, em perseguição aos demais e assim por diante.
* O último apanhado será o novo rei, na repetição do jogo.
OBS: Ninguém pode apoiar os dois pés no chão, sob pena de ser aprisionado, exceto nos seguintes casos:
a) quando o jogador estiver dentro do palácio;
 b) quando o jogador estiver cansado, devendo, porém, ficar parado num mesmo lugar, ocasião em que poderá ser apanhado.
O jogador aprisionado ficará dentro do palácio, até outro ser preso, só então podendo voltar ao lugar onde estava antes.

PEGADOR SÔ LOBO.


* Uma criança é escolhida para ser o lobo e se esconde.
* As demais dão as mãos e caminham em sua direção, enquanto cantam:_ Vamos passear na floresta, enquanto o sô lobo está aí? !
* Chegando perto da suposta casa, a criança que está fazendo o papel do sô lobo responde que ele está ocupado, tomando banho, enxugando-se, vestindo-se, como quiser inventar.

* As crianças se distanciam e depois voltam fazendo a mesma pergunta e recebendo respostas semelhantes.
* A brincadeira se repete até que, numa dada vez, sô lobo, já pronto, sem responder nada, sai correndo atrás das crianças.
* A que for pega, passa a ser o sô lobo na próxima vez.




0 comentários:

Postar um comentário